reality bites: pelo momento ou pelo conteúdo?

Pode conter spoilers.

Acabei de assistir um filme despretensiosamente, depois de ver uma daquelas imagens com quotes que circulam no Facebook, mais especificamente essa:

tumblr_m17gmga27c1qckb7ho1_500

Acho que assistir às cegas me fez ter uma visão bem simplista e talvez empática sobre ele, seus personagens, etc. O filme em questão é o Reality Bites, que resumidamente trata de um grupo de jovens após se formarem na faculdade, seus ideais, como lidam com a necessidade de se sustentar e essa coisa toda. Apesar de estar pensando muito sobre esse tipo de assunto ultimamente, esquentando a cabeça e tudo mais, eu vi mais do que isso nesse filme. Antes de vir escrever aqui, olhei algumas impressões de outras pessoas sobre ele, que me chamaram a atenção por acharem que certa personagem foi endeusada, outra tida como malvada, e tudo bem. Parece ser um filme com público alvo pra quem tá nessa fase, e mesmo que eu não queira talvez inconscientemente tenha sido isso que tenha me feito gostar dele. Não foi “oh melhor filme da vida”, mas até chorei, e filmes que me fazem chorar ganham pontos comigo. Vi um pouco de mim em cada um deles, mas não pela idade e momento da vida, mas pelas merdas que fazem, pensamentos que já passaram na cabeça, por um momento feliz com alguém e depois não saber mais o que sente. Por não saber lidar com as situações, por perder o controle na hora de falar.

E bem, futuramente eu posso ver esse filme, na minha super maturidade adquirida, e achar uma baboseira, mas agora, pra mim, esse filme trata de mudanças e relações humanas. De fazer besteira, de ocultar, de se comunicar, e isso a gente aprende aos poucos, não do dia pra noite. Não vejo como definindo alguém como bom e ruim dentro da trama, mas pessoas sendo elas mesmas, fazendo o que acham melhor pra si naquele momento, e that’s it. Se o filme fosse continuar veríamos muito mais tretas, a mocinha poderia achar que fez uma burrada ficando com alguém que não tem um objetivo na vida, o carinha poderia se desencantar com ela, enfim, a vida é assim minha gente, e eu acho que o filme retratou bem isso.

— Além disso, todo mundo morre sozinho.
— Se acredita nisso mesmo, quem está procurando aqui fora?

Esse quote se destacou pra mim, porque o mocinho principal sempre lida com as coisas de uma forma desapegada, e aí o outro cara questiona isso a ele. Eu relacionei isso com aquilo de “ah, tá tudo fodido mesmo” junto com o oposto ideal de querer deixar um legado para a humanidade, fazer algo importante. O casalzinho principal é a união desses extremos. Porém, manter a pose de vida louca ou ser aquela criatura certinha que super se cobra e tem tudo milimetricamente calculado pros próximos dez anos, trazem ambos prejuízos. E a esfera que podemos alcançar vale mais, o resto é consequência. Sim, é bem importante planejar e analisar o que você quer da vida, e também não ser tão materialista. Mas mais importante ainda é tentar se aproximar daquela coisa chamada equilíbrio, e não é fraqueza errar enquanto se tenta.

Espero lembrar desse filme e revê-lo daqui a um tempo, pra saber se minha opinião permanece.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s