when the day is long…

O título já introduz adequadamente meu dia: longo e pesado. Fui pra uma clínica fazer um exame, esperei duas horas para finalmente ser atendida e soprar um tubinho. Acho que todo o processo durou pouco mais de cinco minutos. Fiquei realmente estressada com a situação porque quando perguntei quantas pessoas tinham na minha frente, a atendente simplesmente disse “já já te chamam, não se preocupa”. Fui bem otária acreditando nisso. Enfim, esse sentimento de indignação se alojou em mim a ponto de eu fechar a cara até sair de lá (a parte boa foi que recebi o resultado já hoje – plot twist: aparentemente a “amostra” do meu sopro não foi boa o suficiente, espero que o médico não diga que o exame não serve de nada por causa disso). Maaas, como sempre, todas as sextas sem falta, tenho a querida aula de Administração que sempre me revolta. Não vou entrar nos pormenores porque sei que virou algo como uma repulsa permanente por motivos “bestas” com a professora. Alimentei mais sentimentos ruins e fiquei tipo o Kid Cudi.

kidicudi

Me sinto péssima quando fico assim, sem saber relevar as coisas que me tiram do sério e simplesmente focar no que interessa. Aí vem a questão: o que é que me interessa? As aulas de Administração, desde Empreendedorismo que tive no ensino médio, me parecem muito repetitivas, batendo muito na mesma tecla, pouca objetividade e prática. Tomada de decisão pra lá, habilidades e competências pra cá. Cara, recomenda um texto que agregue mais do que isso, mostra exemplos dentro da Biblioteconomia, contextualiza, pelamor!

Quando acabou a aula me lembrei de Day ‘N’ Nite do Kid e coloquei pra ouvir, embora eu não conheça outros trabalhos do moço, gosto muito dessa música (e do clipe também, que é maravilhoso). Costumo lembrar dela quando tô mal, principalmente quando me sinto desequilibrada, tentando ver o lado bom da coisa ruim, yin yang, Day ‘N’ Nite, e tal.

Também revi a última opening de Bleach, Harukaze, tanto porque amo a música quanto pela abertura em si, que me deixa com o coração apertado de tanta nostalgia.

burichi

Aproveitando a vibe post grande, vou registrar aqui alguns posts que li esses dias e achei interessantes:

O que ninguém me contou sobre “largar tudo e ser feliz”, no Papo de Homem
Minha cabecinha vive me dizendo que mereço mais que tudo isso que vivo e que tenho que encontrar a coisa especial que vou saber que é o que quero fazer, mas a realidade é dura e esse texto veio pra aceitar as coisas como elas são, ou pelo menos tentar…

Vídeo A história do yoga
Fiz o mínimo depois do post sobre yoga e fui atrás de vídeo pra me inteirar. Encontrei esse que achei muito bacana e objetivo, citando os pilares do yoga que achei incríveis e me deixaram empolgada para continuar frequentando as aulas.

E se eu estiver errada?, no Papo de Homem
Os textos do Papo de Homem são ótimos, e os do Alex Castro são super abridores-de-mente. A ideia de saber que estou errada com relação a algo/alguém mas ainda ficar com os nervos à flor da pele me deixa ainda mais frustada, é quando percebo que não sei nem por onde começar a aplicar esse tipo de coisa que leio. Fico bastante mal mas sei que é necessário. Nenhuma mudança acontece do dia pra noite (daqueles clichês indispensáveis).

That’s all, folks.

Anúncios

2 comentários sobre “when the day is long…

  1. Temos aqui uma bibliotecária ou estudante de biblio, pois não? E que também não tem paciência para a litania empreendedora/administrativa aplicada (ou não) à área. Temos muito em comum! 🙂

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s