every tear, a waterfall.

Tocou Paradise de Coldplay no rádio enquanto eu voltava para casa, e tendo em vista tudo que eu estava sentindo, essa frase da música me pareceu cair bem pro título desse post.

Aparentemente, tudo começou a caminho do trabalho, onde me surgiu o seguinte pensamento: como alguém que tem medo do que os outros vão achar do que fala/faz, pode, ao mesmo tempo, sentir que ninguém se importa com merda nenhuma a não ser si mesmo, que ninguém ouve ninguém de verdade? Esse alguém sou eu, e não encontrei a resposta.

O pensamento inocentemente se implantou na minha cabeça e passei a tarde inteira pensando em compartilhá-lo, mas não encontrei um momento apropriado para tal. Logo mais, durante a aula da universidade, recebo a nota de uma prova que estava ansiosa em saber o resultado (pela aura que se instaurou nesse post você pode supor que não foi o que eu esperava). Vi tudo que eu havia planejado indo por água abaixo. Intercâmbio, bolsa de pesquisa, etc etc etc. E aí começou o que vem acontecendo com mais frequência nos últimos tempos. Em dias/momentos normais as coisas vão e vêm na minha cabeça, mas com uma fagulha de pensamento estressante no dia já coloca todo o resto a perder. Não consegui mais prestar atenção na aula. Tava desesperada pra sair dali, ir pra algum lugar sem ninguém e chorar. As coisas boas simplesmente somem, e tudo que acontece se acumula junto com aquela ideia inicial do capeta. Não vai embora, só piora. Sorte que minha cabeça, depois de tanto choro e conflito, apesar de doer pra cacete, me faz ter bastante sono e no outro dia acordo menos mal, pronta pra outra…

Enquanto não prestava atenção na aula, também comecei a pensar em como lidar com situações que suas capacidades são importantes pra te escolherem em vez de outra pessoa. Se minhas capacidades não forem óbvias vou ficar sempre pra trás. E não posso esperar vir aquele famoso caçador de talentos que enxergue minhas habilidades magníficas e invista no meu suposto potencial. O que fazer quando sinto que estou sendo outra pessoa enquanto tento me destacar entre os demais?
Durante a tarde ouvi duas músicas com trechos que também alimentaram a fagulha malévola inicial. Vou colocar aqui pra, quem sabe, fazer o mal com você também. Colocar aquela fagulha inquiridora na tua cabeça.

Faz um bom tempo que não escuto Avenged Sevenfold mas essa música é uma das melhores pra mim, foi bom ouvi-la novamente hoje.

Me salve
Estou preso em um mundo vil
Onde o fim do jogo é igual a qualquer outro
Nós só estamos aqui para morrer
Estou perdendo meu único sonho
Posso usar alguma luz guiadora, algum lugar para ir
Se você ouvir, me avise

[…]

Ele pode estar fora de si, mas um dia você descobrirá
que a sanidade nos deixou cegos, e nos arrastou para trás

Gosto muito do álbum Dressed up as a life, e hoje essa música ficou o dia inteiro na minha cabeça.

Quero respirar sem me sentir tão autoconsciente
mas é difícil quando o mundo inteiro está te olhando

Enfim, como sempre, perguntas demais e respostas de menos. Pra compensar me sinto um pouco melhor por conseguir escrever e tentar organizar tudo que pensei. Quem sabe um dia tudo isso me seja útil.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s